Novembro, mês de regressos

As últimas 2 semanas foram de descanso e despreocupação total, sem corridas, sem ginásio, com algumas avarias gastronómicas, o que correspondeu a quase mais 5 kg na balança. Isto para compensar e descansar dos 2730 Km com 95000m de desnível positivo que corri nos últimos 12 meses. Um pouco menos que os 12 meses de 2014, mas também com mais paragens quer para curar algumas mazelas, quer para recuperar dos maiores e mais difíceis desafios que corri em 2015.

Hoje foi dia de regressar aos treinos e começar a preparar o ano de 2016, que certamente trará maiores e melhores desafios.

IMG-20151103-WA0000

Nada melhor para reiniciar os treinos, do que acordar cedinho e ir até Monsanto para a Hora do Esquilo. Para início de conversa foram 10 Km numa hora, com pouco menos de 300m de desnível positivo, e que sinceramente pensei que me iam custar bem mais. Há 8 meses, deste este treino de azarada memória, que não corria na Hora do Esquilo, mas hoje soube bem, soube mesmo muito bem, acordar cedo e desfrutar do bonito amanhecer que hoje foi proporcionado nos trilhos por Monsanto.

Amanhã há mais.

Continuação de bons treinos e de boas provas!!!

Recomeçar…

Hoje foi dia de recomeçar. Premonitoriamente meti a mão no cesto das tshirts de corrida e coube-me em sorte esta:

A tshirt da Corrida do Tejo 2011, os meus primeiros 10 Km e a primeira corrida que fiz.

A um mês do MIUT e há quase duas semanas sem correr, a coisa não está fácil. Apesar de uma semana de treino funcional no Kalorias Club, onde já devo ser o Rei da Elíptica, tantos quilómetros lá fiz esta semana, correr na serra é outra coisa e é fundamental para estar pronto para a Madeira. Resta-me mesmo recomeçar e ir devagarinho, para chegar a bom porto, que é como quem diz a Porto Moniz, onde tudo vai começar e, tentar chegar a Machico inteiro, sorridente e feliz.

Parafraseando Miguel Torga:

“Recomeça…
Se puderes
Sem angústia
E sem pressa.
E os passos que deres,
Nesse caminho duro
Do futuro
Dá-os em liberdade.
Enquanto não alcances
Não descanses.
De nenhum fruto queiras só metade.

E, nunca saciado,
Vai colhendo ilusões sucessivas no pomar.
Sempre a sonhar e vendo
O logro da aventura.
És homem, não te esqueças!
Só é tua a loucura
Onde, com lucidez, te reconheças…”

E é nesta loucura que recomecei, ainda com tape funcional a ajudar a manter tudo no sítio, mas recomecei.

 

No IMT disseram-me que podia recomeçar com calma. Recomeçar com 21 quilómetros lentos, numa manhã solarenga de sábado à beira Tejo, pareceu-me suficientemente calmo.

Faltam 34 dias para a primeira aventura do ano, vou sem angústias e sem pressas, mas vou querer todos os quilómetros do MIUT, mesmo que o fruto esteja verde, quero colher esta ilusão.

Continuação de bons treinos e de boas provas!!! 😉