Resumo dos meses de Março e Abril

Os meses de Março e Abril foram destinados a preparar a participação nos 100 Km do Ultra Trail de São Mamede. Treinos sobretudo em ambiente de trilhos, a treinar desníveis acentuados, resistência física e mental, espirito de equipa e testar equipamentos. A complementar os treinos habituais, a participação nos 50 Km do Inatel Trail do Piodão, nos 42 Km dos Trilhos do Almourol e nos 107 Km do Carlos Sá Gerês Trail Adventure. Provas brutais que permitiram testar os mais diversos pisos e ambientes, desde lama a rocha dura, desde calor intenso a frio e neve, desde quilómetros rolantes a subidas e descidas insanas.

Carlos Sá Gerês Trail Adventure

Para a história do mês de Março ficam os seguintes números:

Contagem: 19 Actividades + 1 Prova
Distância: 347,70 km
Hora: 46:37:51 h:m:s
Ganho de elevação: 10759 m
Velocidade média: 7,5 km/h
Calorias: 6811 C

Trilhos do Almourol
Para a história do mês de Abril ficam os seguintes números:
Contagem: 13 Actividades + 2 Provas
Distância: 332,11 km
Hora: 49:59:31 h:m:s
Ganho de elevação: 12004 m
Velocidade média: 6,6 km/h
Calorias: 8460 C

Inatel Trail do Piodão
A nove dias do Ultra Trail de São Mamede o que havia a treinar está treinado. Agora é manter a forma, não cometer excessos nem de treino nem alimentares, e manter o ritmo até à partida.
Continuação de bons treinos e boas provas!!!

Inatel Ultra Trail do Piodão

Grande prova esta do Inatel Trail do Piodão. Tardou aqui o merecido comentário, mas umas últimas semanas muito movimentadas não me deixaram muito espaço para por a escrita em dia.

Paisagens sempre espectaculares!!!

Voltando ao Piodão, foi um fim de semana muito divertido, numa prova de 50 Km muito bem organizada, e com muita sorte com a meteorologia, o que permitiu competir descontraidamente e ao mesmo tempo desfrutar as belas paisagens que cruzámos no bonito percurso que se percorreu.

Passagem por Chãs d’Égua


Relativamente à organização nada a apontar. O percurso excelentemente marcado, impossível de perder o trilho correcto em qualquer ponto onde pudesse existir uma mínima dúvida. Os abastecimentos, dentro do que tinha sido anunciado, com líquidos, fruta, batatas fritas, marmelada, frutos secos. O percurso algo duro, muita pedra para correr em cima a amassar literalmente os pés, e algumas subidas de respeito que no total perfizeram pouco mais de 3300 metros de desnível positivo. A meteorologia ajudou bastante à beleza da prova, com um dia de sol mas sem excesso de calor, o que permitiu ainda vislumbrar a neve no ponto mais alto do percurso. No dia seguinte fomos visitar de carro o alto do Monte do Cucurinho e um vento e frio brutais contrastaram com o sol sereno do dia anterior. Se tivéssemos apanhado um dia com tempo assim, o dia da prova teria sido de uma dificuldade significativamente acrescida.


Ajuda divina?


Quanto à prova foi efectuada num ritmo tranquilo, sempre na companhia do Vargas, para treinarmos a participação em equipa nos 107 Km do Gerês Trail Adventure. Uma primeira parte da prova mais rápida, mas as duras subidas e os quase 60 Km que já tinha nas pernas dos treinos da semana, começaram a fazer-se sentir e tive de abrandar um pouco na segunda metade da prova para não comprometer a qualidade dos treinos necessários até ao grande objectivo que é o UTSM. Tive de refrear um pouco o ritmo do Vargas, mas penso que foi bom para ambos não esticarmos muito o ritmo. No final foram 51 Km e 3334 metros de desnível positivo, percorridos em 9h10.














O fim-de-semana foi ainda marcado pela excelente hospitalidade e gastronomia locais. A aldeia de Chãs d’Égua recebeu-me a mim e a mais quase duas dezenas de atletas e acompanhantes de braços abertos, e para o ano se repetir esta prova será aí novamente a base para toda a prova.

Sempre a puxar pelo Vargas!!!

Um agradecimento especial às minhas amigas Kwendettes, que aproveitaram o fim-de-semana para descansar pelo Piodão e aproveitaram para fazer claque às equipas Ai Cristo Cristo Vem Cá Abaixo Ver Isto. Vejam o vídeo e vejam porque receberam o prémio de melhor claque da prova!



Continuação de boas corridas e de boas provas!!!

Chegámos!!!


Preparar o Inatel Piodão Trail Running

A três dias do Inatel Piodão Trail Running, constato que há muitos amigos e participantes que ainda não sabem bem como deverão encarar as condições meteorológicas que iremos apanhar na média montanha.
Próximo destino: Piodão
Os conselhos e partilha de informações pelos atletas mais experientes fazem parte do processo de aprendizagem dos atletas menos experientes. Estes conselhos podem ser muito importantes nas opções a tomar antes da prova e influenciar não só o desempenho durante a corrida mas também o sucesso no resultado final.

Aqui ficam dois conselhos que considero importantes e que deverão ser levados em conta:

“O vento gelado que se faz sentir nas cristas da serra, adicionado ao corpo molhado pela chuva ou pelo suor, são factores a ter em conta, também fazer uma prova com o esforço controlado não ir ao limite, previne a hipotermia, que geralmente se dá quando todas as reservas energéticas estão esgotadas…outro conselho, é abastecer bem nos abastecimentos e só sair quando se sentir em condições físicas e mentais para ultrapassar os obstáculos que vão ter pela frente, clima e o traçado do terreno em particular os 50km….”, conselho do experiente atleta Vitorino Coragem.
Perfil altimétrico da prova de 50 Km
“Próximo destino…. Piódão….
Com o vestuário para enfrentar temperaturas negativas em média Montanha.
Gorro, Luvas, Buff, meias altas de lã, manta térmica, Corta-vento com forro polar, calças, comida e bebida energética, mochila, telemóvel.
Prevendo-se queda de neve a partir dos 1200 metros nos próximos dias, vamos passar por três picos a cima desta altitude, Colcurinho, S. Pedro do Açor, Pico de Cebola…. e ali a Serra da Estrela tão perto…
Aliás é o material que te aconselho para o Trail Inatel Piódão…”, conselho do experiente atleta Rui Simões.
Perfil altimétrico da prova de 21 Km
E é isto, ou como se costuma dizer: quem vai para o mar avia-se em terra.

Podem consultar toda a informação da prova no site da mesma clicando aqui. Lá encontram informação sobre o secretariado, material obrigatório, abastecimentos, etc., etc..

Será que vai nevar no próximo sábado?
Continuação de bons treinos e até Sábado no Piodão!!!

Um cheirinho a Piodão


Ainda não são conhecidos os pormenores dos percursos do Inatel Trail do Piodão 2014, que decorrerá no próximo dia 29 de Março. Sabemos já que existirão três distâncias: Ultra Trail de 50 Km; Trail de 21 Km e Caminhada de 15 Km, e que o início da prova será obviamente no Piodão.

O cartaz da prova de 2014

O Piodão, para quem não sabe, situa-se na zona de Arganil na encosta da Serra do Açor, e pertence em conjunto com mais 26 aldeias da região centro do nosso país ao Projecto Turístico Aldeias de Xisto, num território de enorme beleza que oferece experiências únicas. Nestas aldeias as casas são feitas em xisto e lousa.

No que diz respeito à prova de 2013, existiram apenas duas distâncias: a prova principal com 42 Km e a caminhada com 15 Km.

A aldeia do Piodão
O Trail de 42 Km percorreu os trilhos da Serra do Açor, num desnível positivo de cerca de 2.500 metros, tendo tido o seu ponto mais alto no Monte Colcurinho a 1242 metros de altitude.

Partilho convosco este vídeo do atleta António Santos, que mostra toda a beleza do percurso de 2013.

Aproveitem para vir conhecer o Piodão e divirtam-se a passear, a correr ou a caminhar. O fim de semana de 29 de Março promete! Podem inscrever-se nesta prova clicando aqui.

Continuação de bons treinos e de melhores corridas.

O último grande teste antes do UTSM

Está definido o plano de treinos em modo competição, para preparação para o Ultra Trail de São Mamede.


São duas as provas em que irei testar a força nas pernas e na cabeça antes da grande aventura do UTSM:
  • Primeiro os 50Km do Ultra Trail do Piodão;
  • E a seguir os 105Km (em três dias) do Carlos Sá – Gerês Trail Adventure.

Se este último desafio for concluído com sucesso, estou convicto que a participação no UTSM será tranquila.

O Carlos Sá – Gerês Trail Adventure contará com duas equipas ACCVCAVI que na realidade serão só uma, eu, o João Vargas, o Rui Alegre e o Hugo Fragoso, iremos tentar completar este desafio levando connosco todo o espírito de entreajuda necessário a que os quatro cheguem ao fim com os 105 Km nas pernas.


Até lá ainda falta correr a Maratona de Sevilha cuja preparação tem sido cheia de percalços.
Ainda assim, mais depressa ou mais devagar, Sevilha será um passeio tranquilo e certamente mais rápido que a estreia do ano passado.

Continuação de bons treinos e boas provas!!!