Novembro, mês de regressos

As últimas 2 semanas foram de descanso e despreocupação total, sem corridas, sem ginásio, com algumas avarias gastronómicas, o que correspondeu a quase mais 5 kg na balança. Isto para compensar e descansar dos 2730 Km com 95000m de desnível positivo que corri nos últimos 12 meses. Um pouco menos que os 12 meses de 2014, mas também com mais paragens quer para curar algumas mazelas, quer para recuperar dos maiores e mais difíceis desafios que corri em 2015.

Hoje foi dia de regressar aos treinos e começar a preparar o ano de 2016, que certamente trará maiores e melhores desafios.

IMG-20151103-WA0000

Nada melhor para reiniciar os treinos, do que acordar cedinho e ir até Monsanto para a Hora do Esquilo. Para início de conversa foram 10 Km numa hora, com pouco menos de 300m de desnível positivo, e que sinceramente pensei que me iam custar bem mais. Há 8 meses, deste este treino de azarada memória, que não corria na Hora do Esquilo, mas hoje soube bem, soube mesmo muito bem, acordar cedo e desfrutar do bonito amanhecer que hoje foi proporcionado nos trilhos por Monsanto.

Amanhã há mais.

Continuação de bons treinos e de boas provas!!!

Serviços mínimos

O ano passado por esta altura, estava num nível de forma muito bom para mim, o que foi sustentado pelos resultados que obtive no Grande Trail Serra d’Arga, na Maratona do Porto e no Arrábida Ultra Trail. Este ano, fruto do azar de duas entorses num dos tornozelos, tenho feito bastantes quilómetros em treino, mas com bastantes quebras no plano de treinos e longe da intensidade que pretendia para continuar a melhorar os meus resultados. É neste cenário que olho para o lado e constato que grande parte dos meus amigos atletas está num momento de forma invejável.

Grande Trail Serra d'Arga

É vê-los a fazer tempos na casa da 1h30 na Meia Maratona das Lampas, é vê-los a percorrerem o Tor de Geants com grande nível, é vê-los aplicados nos treinos e a preparar os próximos desafios com grande intensidade, e é constatar que dificilmente conseguirei acompanhar o ritmo de quase todos eles nos desafios que se avizinham, o Grande Trail Serra d’Arga e o UTAX. 2015 tem sido um ano de serviços mínimos, simplesmente completar os desafios a que me propus. Resta continuar a treinar e esperar que 2016 me reserve melhor sorte no que diz respeito a lesões, para poder treinar com intensidade e continuar a melhorar os resultados.

Continuação de bons treinos e de boas provas!!!

Desta já te safaste…

Quem participa regularmente em provas de ultras distâncias, será sempre na minha opinião, alguém que tem uma força de vontade, capacidade de sofrimento e resiliência acima do considerado “normal”. Apesar destas qualidades, a maior parte das vezes, serem positivas no desenvolvimento pessoal, muitas vezes se conjuntas com cansaço físico, muitas horas sem dormir, e alguma teimosia, podem reunir um cocktail perfeito para as coisas correrem menos bem.

Congratulo o meu amigo Paulo Martins por se ter safado desta, uma desidratação forte e feia que lhe valeu 10 dias no hospital, no seguimento da sua participação no Ultra Trail Mont Blanc. Dentro do menos bom as coisas acabaram por correr bem, mas podia não ter sido assim. Espero que recupere totalmente depressa para podermos fazer mais uns treinos pela Arrábida.

PM

Quem corre em montanha, seja ela qual for, mais alta ou mais baixa, menos perigosa ou mais perigosa, com mais assistência ou menos assistência, terá de ter ser sempre uma grande dose de auto critica e de auto avaliação, e perceber quando se deve parar por estar a colocar outras coisas mais valiosas em risco como a nossa saúde ou mesmo a nossa vida. Não há corrida que valha isso.

E já agora nunca esquecer que não somos imortais, como em tempos escrevi aqui.

Continuação de bons treinos e de boas provas!!!

O pecado mora ao lado

Enquanto devorava uma caixa de gelado de manga, assistia ao documentário que referi aqui.

No início da peça, colocam uma questão a Colin Jackson, atleta britânico três vezes campeão do mundo na disciplina dos 110 metros barreiras:

– Qual foi a primeira coisa que fez quando deixou de correr?

A sua resposta foi algo como:

– A primeira coisa que fiz foi comer uma sobremesa, uma torta com recheio de compota cheia de ingredientes muito maus, sonhava com ela desde os 16 anos…

É por estas e por outras que nunca serei campeão nem aqui da minha rua!… 😀

Continuação de bons treinos e boas provas!!!

II Summer Trail Camp

O ano passado, fruto da necessidade de ganhar forma depressa e bem, optei por passar uma semana das minhas férias na Serra da Estrela, num misto de férias e treino. Foi uma semana a subir e descer a Serra da Estrela, com cerca de 120 Km em 4 treinos. Correu muito bem, uma semana na natureza, a treinar em trilhos fantásticos e na companhia do Bruno, que partilhou comigo o I Summer Trail Camp.

Este ano o cenário quase que se repete, e na segunda semana de Agosto lá estaremos nós para treinar e ganhar forma, e entrar em Setembro cheios de força para concluir com sucesso os diversos desafios que vamos abraçar.

smt2014 2

A II edição do Summer Trail Camp na Serra da Estrela está praticamente definida.
A base será de novo no Skiparque em Manteigas, que dispõe de uma Praia Fluvial, restaurantes e outros pontos de interesse.
Os treinos previstos serão mais ou menos assim:
Dia 8 26K; Track: http://www.openrunner.com/index.php?id=5026479
Dia 9 13K; Track: http://www.openrunner.com/index.php?id=5027146
Dia 10 Descanso;
Dia 11 24K; Track: http://www.openrunner.com/index.php?id=5026900
Dia 12 10K; Track: Rolador calmo nos arredores da base
Dia 13 Descanso;
Dia 14 53K; Track: http://www.openrunner.com/index.php?id=5026806
Dia 15 40K; Track: http://www.openrunner.com/index.php?id=5026821
Dia 16 Regresso.
O desnível acumulado de todo o evento será coisa para +- 20000m.
Poderá haver uma Bónus Track, em substituição dos treinos roladores, caso seja da vontade de todos 🙂 Track: http://www.openrunner.com/index.php?id=5027271

Quem estiver a pensar treinar nesta altura e se quiser juntar ao grupo, é livre de o fazer. Isto é uma “organização desorganizada”, de amigos para amigos, e os únicos requisitos obrigatórios são a camaradagem, boa disposição e vontade para correr.

Querem-se juntar? Mandem mensagem 🙂

Continuação de bons treinos e de boas provas!!!

Balanço Desportivo de 2014

No plano desportivo não posso dizer que ano de 2014 tenha sido mau, pelo contrário foi um ano cheio de novas experiências e de muita aprendizagem.

2014 foi o terceiro ano na prática desportiva da corrida, e o meu ano zero nas corridas de trilhos e montanha. Foi por isso um ano de muitas experiências novas e de muita aprendizagem, que espero poder consolidar pelo ano de 2015, e claro, continuar a aprender e sempre na senda de novas aventuras.

No Gerês Ultra Trail com o Vargas, o Hugo e o Camané

Relendo agora a minha publicação com o balanço de 2013, tinha lá estabelecido 3 objectivos para 2014:

  1. Terminar uma Maratona abaixo das 3h30 de prova, objectivo que tinha sido pensado para a Maratona de Sevilha já em Fevereiro mas que ainda não vai ser possível de realizar. Para cumprir este objectivo terei de esperar pelo segundo semestre do ano;
  2. Repetir a Ultra Maratona Atlântica Melides Tróia e tentar terminar abaixo das 5h30 de prova;
  3. Realizar uma prova de 100 Km de distância, estando esta já definida e agendada; será o Ultra Trail de São Mamede, no final Maio.

Destes três objectivos apenas concretizei um, o de realizar e terminar uma prova de 100 Km de distância, o que de facto aconteceu no Ultra Trail de São Mamede conforme previsto. A minha segunda participação na Ultra Maratona Atlântica Melides Tróia teve de ser adiada, porque em 2014 simplesmente não se enquadrava com o plano de treinos que acabei por delinear para o ano, visão que ainda não tinha à data que tinha definido este objectivo. Por fim, o objectivo de terminar uma Maratona de estrada abaixo das 3h30 de prova, também não foi cumprido. Fiquei lá perto 3h33, e numa prova onde podia ter feito abaixo das 3h30, mas quis a prudência que me poupasse para os 80Km do Arrábida Ultra Trail que seriam duas semanas depois, e esse sim, à data, era o meu objectivo a concretizar.

Quase a terminar o Ultra Tral de São Mamede, já com 102 Km nas pernas

Em Janeiro de 2014 tinha uma perspectiva diferente daquele que teria em Abril/Maio de 2014, e os objectivos que tinha definido em Janeiro deixaram de facto de fazer muito sentido por essa altura, sendo a principal culpada dessa mudança a descoberta da corrida em trilhos e montanha, que de facto me apaixonaram e me fizeram redescobrir todo um novo mundo dentro do mundo das corridas.

Summer Trail Camp na Serra da Estrela com o Bruno Santos

Em resumo, 2014 foi o ano onde corri 3029 Km (mais 10% que em 2014) com 71336 metros de desnível positivo (mais 177% que em 2014), tendo gasto para tal cerca de 350 horas do meu tempo. Participei na minha primeira prova de 100 Km, o Ultra Trail de São Mamede, e baixei o meu recorde pessoal na Maratona de Estrada para 3h33 na Maratona do Porto. Pelo meio participei noutras provas marcantes, como o Gerês Trail Adventure em equipa com o meu amigo João Vargas, O Grande Trail Serra d’Arga, a Ultra Maratona Solidária Toca a Todos, tendo terminado o ano com a participação no Trail do Cabo Espichel, prova onde me estreei no Trail Running no final de 2013. Em 2014 tive oportunidade de correr em estrada, em trilhos diversos e espectaculares, em arribas, em montanha, em trilhos fechados cheios de silvas, na areia quente da praia, no frio da neve fofa, na lama, na água, com muito calor, com muito frio…

Chegada à Meta na Maratona do Porto 2014

2015 já está em curso e os objectivos definidos estão muito condicionados pela sorte…

O grande objectivo do ano de 2015 será a participação no Ultra Trail Mont Blanc. Feitas as provas de qualificação necessárias, resta agora esperar pela sorte e cruzar os dedos para ser um dos sorteados entre todos os inscritos, e assim poder participar nesta mítica prova lá mais para o final de Agosto. Dia 14 de Janeiro será publicado o resultado do sorteio, pelo que vamos aguardar serenamente…

Até ao resultado deste sorteio a única prova que tenho já como garantida, é a participação no Madeira Island Ultra Trail. Será, talvez, o primeiro objectivo do ano: terminar bem e sem problemas.

Nos fantáticos trilhos do Grande Trail Serra d’Arga

Votos de um excelente 2015 para todos os atletas e amigos!!!

DDD ou Dia de Decisão Difícil…

O bom planeamento de uma época desportiva é, talvez, um dos pontos mais importantes para o sucesso na concretização dos objectivos a que nos propomos atingir e, como em todos os planos, aparecem sempre decisões difíceis de tomar.

É certo que todos gostávamos de ir a todas as provas que existem por este país fora, houvesse tempo, dinheiro e sobretudo pernas para isso, mas quando falamos de ultra distâncias e provas separadas por poucos dias ou semanas, é impreterível termos de fazer uma opção.

Foi o que aconteceu comigo a planear o mês de Abril de próximo ano, duas provas míticas mas de características muito diferentes e, onde gostaria muito de participar em ambas: o Peneda-Gerês  Trail Adventure ou o Madeira Island Ultra Trail.

O Peneda-Gerês Trail Adventure são 280Km com cerca de 16000m de desnível positivo distribuídos em 8 etapas pela Peneda e pelo Gerês, locais com trilhos fantásticos para correr, e uma organização experiente e certamente ao nível das que já conhecemos e reconhecemos ao Carlos Sá.

O MIUT são 115Km numa única etapa, com 6848m de desnível positivo, e que atravessa a ilha da Madeira de Porto Moniz ao Machico por trilhos e locais igualmente de uma beleza extraordinária. Em 2015 será a 7ªedição desta prova, que pela primeira vez fará parte da Ultra-Trail World Tour.

Decisão difícil de tomar… mas desta vez a decisão foi pela participação no MIUT.

Vejam o vídeo de apresentação da prova e deliciem-se com os trilhos por onde iremos passar…

E Abril está já à porta!..