É hoje a Corrida Vertical

Hoje todos os caminhos vão dar ao Aquashow para a Corrida Vertical!

Se estão pelo Algarve, apareçam por lá para apoiar ou apenas para desfrutar da festa.

A entrada é livre, com DJ e piscina de ondas a partir das 21h00.

Até já!!! 😉

vertical

Continuação de bons treinos e de boas provas!!!

1ªCorrida Vertical Aquashow

Uma das “novas disciplinas” do atletismo que mais me fascina desde que comecei a seguir os “caminhos alternativos” do atletismo, é a denominada Corrida Vertical.

Para quem desconhece o que são as Corridas Verticais, não são mais do que corridas em contra-relógio, a subir escadas do piso 0 até a um dos pisos mais altos de um determinado edifício ou estrutura. Há inclusive um (vários) Circuito Mundial desta especialidade, onde se sobem edifícios tão emblemáticos como o Empire State Building (86 Andares, 1576 degraus, subida de 320 metros), a Torre Taipei 101 no Taiwan (91 Andares, 2046 degraus, subida de 391 metros) ou a Torre ICC em Hong Kong (82 Andares, 2120 degraus, subida de 364 metros). As provas deste circuito e, de outros semelhantes que também existem, costumam passar algumas vezes no Eurosport, e sempre assisti a elas com um misto de interesse, curiosidade e vontade enorme de lá estar a participar.

Por isso, quando surgiu a oportunidade de participar na primeira Corrida Vertical a ter lugar em Portugal, não hesitei e abracei a oportunidade com muita muita vontade.

vertical

A estrutura que se vai subir é a mais recente atracção do Parque Aquático Aquashow: as escadas da “Free Fall”, uma estrutura com 32 metros de altura e 200 degraus.

Ok, não é propriamente subir os 2046 degraus das Torres Taipei, mas para primeira iniciativa e para primeira experiência neste género de provas parece-me perfeitamente aceitável, sendo que a prova consiste não numa mas em três subidas ao topo da Free Fall.

Não vai haver tempo nem disponibilidade para fazer um treino especifico para esta prova, mas tal como aqui quando “subi” as Torres Petronas, conto com a precisosa ajuda do Kalorias e do IMT para me preparar e fazer o melhor possível nesta primeira experiência vertical. Wish me luck!!!
Um exemplo de uma corrida vertical na Torre Taipei 101

Continuação de bons treinos e de boas provas!!!

Se estiverem pelo Algarve apareçam no Aquashow. O evento começa às 21h00 e a entrada é livre!

 

Subir as Torres Petronas

A recuperação do meu tornozelo continua a bom ritmo e cada dia que passa posso ir alargando o meu leque de treinos. Muito em breve espero regressar em força aos trilhos.

Hoje no Kalorias, depois dos já tradicionais 35 minutos sempre a subir rampas na elíptica, foi dia de subir escadas. O movimento de subir degraus já não apresenta dor no tornozelo e para testar se está tudo ok escolhi o exercício de subir as Torres Petronas, actualmente o sexto edifício mais alto do mundo com 452 metros de altura.

No final foram 1575 degraus ou, se preferirem, 97 andares, em 13 minutos. Parece que é muito mas na realidade é muito pouco, no MIUT vão ser cerca de 6 quilómetros sempre a subir degraus, pelo que hoje foi mesmo só um teste ao tornozelo.

Mas como desafio é interessante, pelo que brevemente irei tentar repetir o exercício mas mais depressa.

Continuação de bons treinos e de boas provas!!! 😉

Treino Lisboa Trilhada II

Último dia da semana e último treino da semana. No total foram pouco mais de 87 quilómetros corridos com 2500 metros de desnível positivo nestes sete dias, os primeiros da preparação dedicada à participação no Ultra Trail de São Mamede.
À partida para o Lisboa Trilhada II
Para encerrar esta semana de treinos, optei por participar no Treino Lisboa Trilhada II, promovido pelo grupo Portugal Running e com o Miguel Pinho a ser o pai do percurso.
8h00 e lá estava no ponto de encontro, em frente ao Teatro Nacional D. Maria II, onde cerca de 20 atletas se juntaram para cumprir os cerca de 20 quilómetros previstos para este treino.
A primeira escadaria da manhã
8h10 e começou o treino, um autentico sobe e desce por toda baixa Lisboeta, que hoje não nos quis brindar com um sol risonho como o do dia de ontem.
Como extra e para fazer jus ao nome de Lisboa Trilhada, o percurso incluía subir e descer quase todas as escadarias existentes na baixa Lisboeta. No total do treino não sei quantos degraus se subiram e desceram, mas certamente terão sido uns bons milhares!
Passagens pela Baixa, Castelo, Alfama, Graça, Lavra, Príncipe Real, Estrela, São Bento, Bica, Mouraria e de novo Baixa, fizeram parte do percurso que podem ver aqui:

http://www.strava.com/activities/119005053/embed/39fe86e0ae273a3b246bdb96702308488b72364b

É claro e para não variar, tive de andar perdido por uns momentos durante o treino. É o que dá seguir o Iosif, que supostamente estava a fechar o grupo, mas que afinal não conhecia o percurso! Iosif vou-te oferecer um mapa turístico de Lisboa, para no Lisboa Trilhada III apontares e levares o track do percurso. 😀
A tentar acompanhar a Sandra, sempre cheia de energia e com um ritmo forte 🙂
Para habituar o cabedal a carregar o peso extra nas provas longas, levei novamente a mochila carregada com líquidos, o que reconheço me deu um ar de alien durante todo o treino… O que interessa é que não senti nenhum desconforto a carregar novamente a mochila nas costas, o que é um bom indicador para as provas que aí vêm.

Subir a escadaria da estação do Rossio não foi suficiente, venham de lá as Escadinhas do Duque!

No final foram 20,5 quilómetros que se correram em sobe e desce por Lisboa, com um desnível positivo de 679 metros. Na realidade terá sido mais 1 quilómetro e picos, pois cruzamos locais em que se perdeu o sinal do GPS, como estações de Metro e de Comboio e outros locais cobertos. Foi um início de Domingo bem passado e em boa companhia. Para a semana há mais.

Até para o Coreto tivemos de subir e descer escadas!!! 😀 Cortesia das fotos: Miguel Baptista

Continuação de bons treinos e de boas corridas!!!