A dor…

Como classificar uma dor numa escala de 0 a 10?

Parece uma pergunta simples e de eventualmente de resposta óbvia, mas para estes loucos que correm, que às vezes fazem (muitos) quilómetros e quilómetros com pés torcidos ou deslocados, por vezes até começam provas de 100 ou mais quilómetros já com estas lesões; que têm dores nas costas, nos joelhos e noutras articulações que nem imaginávamos ter, mas que pensam algo do tipo: só faltam 60 quilómetros não vou parar agora; que sofrem de dores musculares fortes e intensas nas pernas e no resto do corpo, e outras dores tais; como classificar uma simples dor?

Durante provas ou treinos nunca passei por nenhuma situação de grande dor em que tivesse de pensar duas vezes no que estava a fazer, mas tenho muitos amigos que já passaram por situações de dores complicadas e nem sempre tomaram a melhor de decisão, ou seja, parar sem concluir (ou iniciar) determinada prova.

Vem isto a propósito da consulta no IMT para avaliar o meu tornozelo com um ligeiro deslocamento em  dois ligamentos internos, onde me colocaram esta terrível questão. Como classifica a sua dor numa escala de 0 a 10, sendo 10 a pior dor?

Sinceramente lembrei-me do cartoon em baixo e deu-me uma enorme vontade de rir.

Sorri e acabei por responder: menos de 1.

Continuação de bons treinos e boas provas!!! 😉

Quantos minutos valem 20 dias de paragem?

Arrisco-me a dizer que tal como as cartas de amor, todas as lesões são ridículas.

E também eu tive uma lesão ridícula. (No tíbiocoiso que é como quem diz no músculo tibial anterior).

Tão ridícula que é esta lesão que me “obrigou” a suspender os treinos por 20 dias.

No Treino Temático de homenagem a Fernando Pessoa.
Parecem ridículos (os 20 dias), mas a meio da preparação para uma maratona eu é que fiquei ridículo com cada treino perdido.

É a ridícula diferença entre ambicionar correr os 42195 metros em 3h30 e agora ter de esforçar-me o suficiente para os correr em menos de 4 horas.

Parece ridículo, mas acreditem que nos 42 Km faz toda a diferença corrê-los a 5:40/Km ou a 4:58/Km.

Completei há pouco o primeiro treino pós lesão sem qualquer dor durante a corrida. Apesar da má “forma” foi uma sensação ridícula de felicidade.

Faltam 20 dias para a maratona de Lisboa e é com urgência (ridícula) que vou tentar recuperar uma parte da forma perdida.

A verdade é que hoje as minhas memórias dessa lesão é que são ridículas.

(Todas as palavras esdrúxulas,
Como os sentimentos esdrúxulos,
São naturalmente
Ridículas.)

Nota: O treino ridículo de hoje está disponível aqui.


Bons treinos e melhores corridas!!!